Início Últimas notícias Empresa de SC que não parou tem centenas de infectados

Empresa de SC que não parou tem centenas de infectados

1
0

Foto: Rodolfo Buhrer – 1.out.2019/Reuters

Centenas de funcionários da BRF na unidade de Concórdia, em Santa Catarina, testaram positivo para o novo coronavírus, afirmou a companhia nesta segunda-feira (25), em meio a preocupações globais com os efeitos da pandemia de Covid-19 na cadeia de alimentos.

A BRF informou que cerca de 340 colaboradores, entre funcionários e terceirizados, ou 6,6% do total da unidade, tiveram resultado positivo em testes rápidos para a detecção do vírus.

Esses colaboradores foram afastados preventivamente e submetidos ao teste RT-PCR, que tem por objetivo confirmar com mais assertividade o diagnóstico, afirmou a companhia, acrescentando que irá receber os resultados do RT-PCR nos próximos dias.

Os 93,4% dos seus 5.132 colaboradores e terceirizados da unidade catarinense, que testaram negativo nos testes rápidos para o Covid-19, retornam ao trabalho nesta segunda-feira.

A testagem de 100% dos trabalhadores da unidade, realizada em atendimento à determinação da Vigilância Sanitária do Estado de Santa Catarina, foi concluída no domingo.

Uma porta-voz da BRF afirmou que todas as fábricas da companhia estão funcionando.

Empresas brasileiras de proteínas, incluindo a BRF e a rival JBS, enfrentam surtos em suas instalações, o que em alguns casos forçou o fechamento de fábricas até a adoção de medidas mais rigorosas para combater o vírus.

A Aurora, que tem cerca de 26.000 trabalhadores em 16 fábricas, assinou um acordo com o Ministério Público do Trabalho na sexta-feira que exige testes de rotina dos funcionários e outras proteções adicionais.

A Marfrig disse que 25 funcionários de sua unidade de Várzea Grande (MT) também testaram positivo para a Covid-19.

A empresa disse que retirou os trabalhadores infectados e aqueles que entraram em contato com eles da linha de produção para evitar mais contaminações. Eles estão isolados, segundo a Marfrig, mas a unidade permanece aberta.

O MPT (Ministério Público do Trabalho) de Mato Grosso obteve uma liminar no último sábado (22) contra o frigorífico. A Justiça do Trabalho determinou que a empresa deverá promover adequações em suas linhas de produção para diminuir a exposição de mais trabalhadores à contaminação pela Covid-19 no ambiente de trabalho.

O frigorífico tem cinco dias para adequar a taxa de ocupação de cada ambiente da planta de Várzea Grande para que cada trabalhador ocupe, sozinho, uma área com 9 m² e fique a pelo menos um metro e meio dos demais. A decisão de manter o distanciamento mínimo é válida para todas as unidades da Marfrig do estado.

No processo, o MPT apresentou fotografias em que funcionários apareciam trabalhando com distância inferior a um metro. A Justiça do Trabalho fixou multa diária de R$10 mil em caso de descumprimento das medidas pela Marfrig, até limite de R$100 mil por cada obrigação descumprida.

A empresa, dona da National Beef nos Estados Unidos, confirmou também que pelo menos um colaborador da unidade de Várzea Grande morreu de Covid-19. Era uma mulher que trabalhava na área de desossa e estava em férias desde 4 de maio, segundo a companhia.

A empresa também observou que um segundo funcionário que trabalhava na fábrica morreu de uma doença respiratória, mas que, com base nas informações médicas disponíveis, não era possível determinar se o Covid-19 foi a causa de morte.

Folha De S. Paulo

O post Empresa de SC que não parou tem centenas de infectados apareceu primeiro em Blog da Cidadania.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui